Go to the content
Colabore com a casa
or

 Go back to Notícias
Full screen Suggest an article

A Equipe da Cantina da Casa deixa seu recado nesse novo ano

March 2, 2021 15:04 , by Redação CDC - 0no comments yet | No one following this article yet.
Viewed 102 times

Imagem equipe cantina

A Equipe da Cantina da Casa deixa seu recado nesse novo ano!

 Veja o vídeo:
 
O ano de 2021 começou e continua trazendo novas oportunidades do exercício da fé raciocinada. São novos desafios que nos convidam a exercitar a sabedoria. E estamos todos unidos, mantendo as nossas atividades online, trabalhando para uma psicosfera de fraternidade em nosso planeta.
 
É indiscutível que há um turbilhão de emoções e sentimentos que florescem nos corações dos voluntários da Casa do Caminho nesse período de aprendizado e transição.
 
Com a equipe de trabalhadores da nossa amada cantina, não é diferente. Naquele espaço de convívio da Casa, onde aprendemos a servir o outro e ser servido, onde encontramos a sombra da mangueira para, por vezes, apaziguar os nossos sentimentos de angústia, mas também para desfrutar de uma prosa amiga, exercitamos o amor ao próximo. 
Claro, sem esquecer dos quitutes servidos, mesmo com certa correria, muitas vezes com um sorriso no rosto e uma palavra de conforto para os que por lá passam. Naquele espaço, são geradas oportunidades de estreitarmos laços e aprendermos a arte da convivência saudável, respeitando a diversidade de almas, como Jesus Cristo insiste em propor a todos nós que buscamos a felicidade íntima: ama o próximo como a ti mesmo
 
Quem não se lembra do sabor especial da banana real da Casa do Caminho? E dos salgados saudáveis, saborosos com farinha integral?  
  
E os voluntários estão aqui, transcendendo os desafios tecnólogicos e, assim, deixando seu recado carinhoso para cada um de nós que frequenta aquele espaço da cantina, expressando o seu amor pela atividade de servir ao próximo.
 
E foram muitas emoções compartilhadas conosco através das palavras! Vejam quanto para refletir: EMPATIA, ESPERANÇA, SAUDADES, GRATIDÃO, SOLIDARIEDADE, FELICIDADE, FÉ, AMOR, AMIZADE, PAZ...
 
São palavras fortes que devem ser sentidas em cada um de nós como um convite ao autoconhecimento e ao exercício cotidiano da reforma íntima, nos impulsionando progressivamente à perfeição.
 
E para finalizar, deixamos as palavras do Espírito Marta (psicografia de Marcel Mariano) ressoarem em nossos corações, convocando-nos a despertar o mundo de regeneração que já habita em cada um de nós.
 
 
 
 
Ao ano que se finda sucede o ano que está por vir. O calendário pendurado na parede cede lugar a um novo marco de 365 dias. 
Mas somente será melhor se as disposições morais dos indivíduos forem diferentes daquelas vividas no ano que se fecha.
Pessoa alguma negará que este período que vivemos foi dramático em quase todos os aspectos. 
Numa sociedade embalada por altos índices de consumo, indústria a todo vapor, comércio ditando as regras da existência, a desaceleração foi brusca e não prevista. 
Uma pandemia devastadora persiste em nos dizer, sem palavras, que nem só de pão vive o homem.
Que por mais que se tenha, se possua e se acumule, nunca se será dono das transitórias aquisições materiais. No máximo, mordomo ou depositário passageiro.
A solidariedade saiu do gueto e resplandeceu como chama de amor numa sociedade que estava e ainda persiste na divisão em castas.
Saudáveis do corpo foram arrebatados pelo vírus destruidor, enquanto enfermos diversos e velhinhos resistiram ao contágio, demonstrando notável vontade de viver.
Criamos pontes com outras vidas e a família tornou-se refúgio de muitos que tinham eleito as avenidas como fuga da vida conjugal.
Relacionamentos frágeis não resistiram à proximidade constante imposta pelo distanciamento social, porque neles já não existia amor e cumplicidade, 
mas muitos outros se viram fortalecidos quando se percebeu que sozinhos somos vulneráveis e quebradiços.
(...)
As vacinas são frutos dos laboratórios e filhos da celebração em equipe. 
A crença brota do jardim do coração, nos amparando quando a dor nos torna farrapos emocionais pela impotência em deter a morte.
O tempo prestes a caducar nos ministrou uma lição. O tempo novo à nossa frente sugere gratidão.
Ele nos assegurou que não nos deixaria órfãos. Que ficaria conosco até a consumação dos séculos.
Que seria da ovelha perdida na vastidão de uma pradaria sem a proteção de seu pastor?
Dominamos o átomo. Precisamos agora domesticar o ego.
Alcançamos as estrelas. De maneira urgente, precisamos conhecer o vizinho do lado.
Nas redes sociais temos seguidores. Nunca foi tão escasso os verdadeiros amigos.
A tecnologia é filha do cálculo. 
Necessitamos de afeto e amorosidade, pois a carência e a solidão são nossas viroses mais dolorosas na atualidade, 
para as quais somente o amor e a fraternidade poderão nos imunizar contra a indiferença e o egoísmo.
Ante os umbrais do novo ano, silencia e agradece. Por instantes, deixa de lado essas festas ruidosas e agitadas e fita os pirilampos divinos, a tremeluzirem acima de tua empáfia.
Enquanto houverem amanheceres ricos de beleza e crepúsculos incendiados de poesia teremos a certeza de que Deus pode ter sido esquecido pelos homens, 
seus filhos no exílio terrestre, mas Deus não esqueceu os frutos de sua criação, amparando e educando a atual civilização no rumo da regeneração.
(Marta, psicografia Marcel Mariano)
Juazeiro, 31.12.2020
  
 

 


0no comments yet

Post a comment

* field is mandatory

If you are a registered user, you can login and be automatically recognized.