Go to the content
Colabore com a casa
or

 Go back to Notícias
Full screen Suggest an article

O Grupo Iluminar fez estreia na Casa e encerrou as doutrinárias em 2019

February 6, 2020 11:14 , by Redação CDC - 0no comments yet | No one following this article yet.
Viewed 105 times

 Montilum3

 

O Grupo Iluminar fez estreia na Casa e encerrou as doutrinárias em 2019!

 

A última doutrinária do ano de 2019 na Casa do Caminho contou com a participação memorável do Grupo Iluminar. 
 Montilum4
 
O grupo Iluminar é formado por trabalhadoras do GEPEC (Grêmio Espírita Perseverança e Caridade), em funcionamento há 100 anos. Elas se apresentam aos sábados, cantando e encantando os frequentadores. O nome do Grupo foi inspirado na canção de mesmo nome, de Gabriel Musse, o autor do hino da Casa do Caminho. 
 
Na última doutrinária de dezembro, no dia 20/12, Daiane, Carminha, Samia, Luiza e Sabrine que compõem o Grupo Iluminar, fizeram a abertura musical da linda palestra de Ivan Cezar. 
 
 
Montilum2
 
 
A voz doce e feminina de todas juntas ficou no ar, levando aos presentes um marcante presente de Natal - a harmonia e a paz nos corações. A boa e suave energia que inundou o salão doutrinário pode ser percebido por todos que lá estiveram.
 
 Photo5032863890752514108
 
 
Elas cantaram algumas músicas reflexivas, como Vilarejo (Marisa Monte) e outras músicas espíritas, suaves, contribuindo com o momento seguinte, da palestra, quando Ivan abordou Jesus Cristo.
 
 Photo5032863890752514107
 
A palestra de Ivan Cezar abordou a celebração do nascimento de Jesus Cristo, com muita maestria. Ele comentou que até um momento de sua vida, como talvez para muitos de nós, a figura de Jesus era apenas uma imagem na parede da casa. E que somente depois de compreender o  papel de Jesus para a humanidade, quando entrou na Doutrina Espírita, passou a tentar vivenciar o aniversário de Jesus em seu coração - em dezembro, todos os anos. Mas não somente o aniversário, como também os ensinamentos deixados por ele ao longo da sua vida de amor.
 
 
Photo5033144081534003291
 
 
Abordou a polêmica desnecessária sobre datas reais do nascimento de Jesus: nunca saberemos com precisão. Entretanto, será que de fato importa? O importante mesmo é estar em família, convivendo, celebrando a solidariedade e a oportunidade de falar sobre Jesus na Terra. 
 
 
Photo5032863890752514104
 
Lembrou que Jesus nunca se afastou do seu objetivo principal de servir a todos e nos convidou para refletir sobre a beleza de servir. 
 
 
Photo5032863890752514105
 
Finalizou a palestra desejando a todos os presentes que dessem continuidade a sua transformação pessoal levando em consideração as orientações de Jesus Cristo. O nosso mestre pregou uma única lição durante a sua indescritível passagem pela Terra: o propósito da vida é amar e servir!
 Photo5032863890752514106
 
 
O Grupo Iluminar subiu ao palco mais uma vez e fechou a noite com chave de ouro apresentado-se com Ivan Cezar, cantando a música 'Aos pés do Monte' (Tim e Vanessa)  
Imediatamente após a palestra,  o momento do passe coletivo foi embalado pelo Grupo Iluminar com a música 'Te ofereço paz' (Valter Pini). 
 
Saímos da casa mais leves, cheios de informações para processar, com a boa música no coração e prontos para celebrar o Nascimento de Jesus em nosso lares. Além disso, com um sabor de 'quero mais' para outras apresentações do Grupo Iluminar.

 

"(...)Desconhece-se o dia exato do nascimento de Jesus.

No século IV as autoridades religiosas optaram por 25 de dezembro, que marcava

o início das festas populares da primavera, a suceder o inverno. Era a vida recomeçando
após a morte simbolizada pelos meses frios.

Considerava-se o nascimento de Jesus o marco do renascimento espiritual da Humanidade,

assim como o dia sucede a noite e a vida sucede a morte.

As dúvidas que envolvem o natalício do Senhor, longe de tirarem o brilho e a

beleza do Evangelho, apenas demonstram que não devemos nos deter em detalhes dispensáveis.

Centralizemos nossa atenção no que há de relevante em seu nascimento, destacando

o objetivo de sua missão.

Ele veio ensinar como construir o Reino Divino, a partir do alicerce fundamental

– o amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Em boa lógica, sob o ponto de vista humano, Jesus deveria ter nascido filho do

imperador romano.

Assim desfrutaria do necessário poder para o desempenho da grandiosa missão,

impondo sua mensagem aos homens. As legiões romanas seriam a garantia do cumprimento
de suas determinações.

Nada disso aconteceu.

Jesus preferiu nascer numa das mais obscuras províncias do império, longe do

poder, filho de humilde carpinteiro.

Situou-se tão longe de Roma, palco dos acontecimentos marcantes da época, que

a História praticamente o ignorou.

Por que semelhante escolha?

Para entender isso, consideremos o fato fundamental que distingue Jesus dos líderes

religiosos em geral:

Ele foi o único que, em todas as circunstâncias, exemplificou sua mensagem.

Viveu seus ensinamentos.

Contemplamos assombrados, na vida dos grandes líderes religiosos, fundadores

de religiões, flagrantes contradições entre o que pregavam e a realidade de seu
dia-a-dia.

A mensagem que traziam parecia maior que eles, incapazes de superar as limitações

de seu tempo. Pesava em seus ombros.

Com Jesus foi diferente.

Ele foi tão grande quanto sua mensagem e a vivenciou inteiramente.

Ensinava que os homens são todos irmãos, filhos do mesmo Deus, pai de amor e

misericórdia. Por isso não discriminava ninguém, nem recusava a convivência com
a chamada gente de má vida, proclamando que os sãos não precisam de médico.

Ensinava que devemos fazer ao próximo o bem que gostaríamos nos fosse feito,

e passou seu apostolado a atender necessitados de todos os matizes, curando enfermos
do corpo e da alma.

Ensinava que devemos perdoar não apenas sete vezes, mas setenta vezes sete,

sempre, e jamais asilou ressentimentos ou mágoas, mesmo contra os piores
adversários. Culminou por perdoar seus algozes na cruz.

E ao retornar à convivência dos discípulos, na gloriosa materialização, longe

de admoestá-los por tê-lo abandonado no momento extremo, simplesmente os saudou
com o carinho de sempre – a paz esteja convosco, convocando-os depois à gloriosa
disseminação de seus princípios.

Empenhado em demonstrar, desde o primeiro momento, que o caminho para Deus passa

pelo despojamento dos interesses humanos, das ambições, do comprometimento com o
poder e com a riqueza, preferiu nascer filho de um humilde carpinteiro, no seio
de um povo sem expressão no contexto de Roma.

Exemplificava, assim, uma lição ainda não assimilada pela Humanidade:

O valor de um homem não pode ser medido por sua origem, por sua profissão,

pelo dinheiro, pela posição social, pelo poder que acumula, mas pelo seu empenho
em contribuir para a harmonia e o bem-estar da sociedade em que vive, seja ele o
presidente da república ou o mais humilde trabalhado braçal.

Por isso, em qualquer tempo, sempre que nos detivermos na apreciação do nascimento

de Jesus, não importa saber se as informações de Lucas são rigorosamente exatas;
se Jesus nasceu em Belém ou Nazaré; se foi no ano um, ou antes; se em dezembro ou
noutro mês.

Devemos avaliar, isto sim, se já iniciamos uma nova contagem do tempo em nossa

vida. Se já podemos comemorar o anno Domini, aquele ano decisivo do nascimento
de Jesus em nossos corações.

É fácil saber.

Considerando que sua mensagem sintetiza-se no espírito de serviço em favor do

bem comum, basta avaliar quantos de nosso tempo fazemos um tempo de servir."
 
Richard Simonetti
 
 

 


This article's tags: 2019 Ivan Cezar Grupo Iluminar

0no comments yet

Post a comment

* field is mandatory

If you are a registered user, you can login and be automatically recognized.