Go to the content
Colabore com a casa
or

 Go back to Temas Doutri...
Full screen Suggest an article

Com a Primavera chega também a proposta de renovação

September 2, 2019 13:49 , by Redação CDC - 0no comments yet | No one following this article yet.
Viewed 53 times
Img 20190901 wa0011
 
Com a Primavera chega também a proposta de renovação!
 
Bem vindo, setembro! 
 
Todos nós sabemos que a vida se renova em ciclos. Na natureza, os ciclos também se exteriorizam através das mudanças de estações. 
 
Chegamos, finalmente à primavera que, sem sombra de dúvidas, é uma das estações mais queridas do ano em todo o mundo. 
 
Talvez porque agrade a maior parte dos nossos sentidos. Ou porque nos faça, ainda que sutilmente, um convite à renovação. 
 
Indiscutivelmente, o nosso tato melhora quando sentimentos menos frio, o olfato se torna mais leve com o clima mais agradável, nossa audição percebe a visita mais constante do canto dos pássaros, que mudam a sua direção e a nossa visão se deslumbra com a beleza das flores. 
 
Há tempo para plantar, há tempo para colher e também há tempo para florir. 
E sim. Toda terra é fértil quando se aduba bem. 
 
Mas, às vezes, os invernos se apresentam rigorosos e as chuvas tão constantes, que desacreditamos da chegada das flores.  
 
Contudo, por mais sombrios que os invernos pareçam ser, no momento certo, a primavera chega, na natureza e na vida. 
 
Não adianta ter pressa para colher os frutos e ver nascer as flores. 
 
Há mais de dois mil anos, Jesus plantou os ensinamentos Divinos na Terra. 
Contudo, viveu o deserto da ingratidão e o inverno da indiferença do mundo.
 
Muitos foram convocados à mudança mas poucos escolheram verdadeiramente experimentá-la. 
 
Muitos se estacionaram no inverno da solidão e se enclausuraram no tempo, fechando-lhe as portas. 
 
Digamos que, nesse processo de plantação e colheita, o espiritismo seja uma espécie de catalizador, que por meio da fé que promove, potencializa o arado evangélico de Jesus em nossa vida, propiciando o florescimento interior e multiplicando o número dos seus escolhidos. 
 
E assim, através do seu bálsamo recebemos a oportunidade diária de viver a primavera em sua plenitude, com a leveza de que é preciso amor pra poder pulsar, paz pra poder sorrir e chuva para florir. 
 
Permita que o amor de Cristo floresça dentro de si e dê frutos através de cada um de nós. Sejamos, pois, a Primavera de Cristo na Terra! 🙏🏻

 

“Nenhum ser humano deseja ser infeliz intencionalmente”, pois nenhuma criatura ousa fazer alguma coisa de propósito, a fim de que venha a sofrer ou a se tornar derrotada.

Quando agimos erroneamente, é porque optamos pelo que nos parecia o “melhor”, conforme nossa visão, visto que todos os nossos comportamentos estão alicerçados em nossa própria maneira de perceber a vida.

Sócrates afirmava que “ninguém que saiba ou acredite que haja coisas melhores do que as que faz, ou que estão a seu alcance, continua a fazê-las quando conhece a possibilidade de outras melhores”.

A compreensão do “melhor” depende do desenvolvimento de um raciocínio lógico para cada situação, e se dá na criatura através de uma seqüência progressiva, onde se leva em conta a maturidade espiritual adquirida em experiências evolutivas no decorrer dos tempos.

Todos nós acumulamos informações, instruções, noções em nossas multifárias vivências anteriores. A princípio, passamos a vivenciá-las superficialmente. Aos poucos, vamos analisando-as e assimilando-as, entre processos de reelaboração, para só depois passar a integrá-las em definitivo em nós mesmos, isto é, incorporá-las por inteiro.

Em “fazer nosso melhor” está contido o quanto de amadurecimento conseguimos recolher nas experiências da vida e também como usamos e interrelacionamos essas mesmas experiências quando deparamos com fatos e situações no decorrer dos caminhos.

Fundamentalmente, somos agora o que de melhor poderiamos ser, já que estamos fazendo conforme nossas possibilidades de interpretação, junto aos outros e perante a vida, porque sempre optamos de acordo com nossa “gradação evolutiva”.

Perguntamo-nos, porém, quanto aos indivíduos que matam, mentem, caluniam e fingem: porventura, um ladrão que assalta alguém não saberá o certo, ou o justo? Desconhece o que está fazendo?

Instrução é conhecer com o intelecto e, portanto, não é a mesma coisa que “saber com todo o nosso ser”; isto é, só integraremos o “saber” de alguma coisa quando ela se encontrar completamente “contida” em nós próprios. AI, de fato poderemos dizer que aprendemos e assimilamos totalmente.

Assim analisando, apenas o que sentimos em profundidade, ou experimentamos vivenciando, é que é considerado o nosso “melhor”. Não o que lemos, não o que escutamos, não o que os outros ensinam, ou mesmo o que tentam nos mostrar. Estar na “cabeça” não é o mesmo que “estar na alma inteira”. (...)

Obviamente que o nosso melhor de hoje sofrerá amanhã profundas alterações. Aliás, a própria evolução é um processo que nos incita sempre ao melhor, pois é propósito do Universo fazer-nos progredir cada vez mais para nos aproximar da sabedoria plena."

(do livro: Renovando Atitudes, Espírito Hammed).


0no comments yet

Post a comment

* field is mandatory

If you are a registered user, you can login and be automatically recognized.