Go to the content
Colabore com a casa
or

 Go back to Temas Doutri...
Full screen Suggest an article

É Natal! Cristo Esperança, por Miramez

December 24, 2018 16:25 , by Redação CDC - 0no comments yet | No one following this article yet.
Viewed 61 times

 

Cristo – esperança

Não rejeiteis, portanto, a vossa confiança, que tem grande
e avultado galardão.
Hebreus, 10:35

Cristo – Esperança é aquela força grandiosa, que não deixa a alma esmorecer: ensina ao doente a acreditar na cura, ao caído a levantar, ao pobre a esperar com paciência, ao preso a confiar no futuro, ao faminto e ao nu a manter no coração a certeza de que no amanhã tudo poderá estar mudado. A esperança espiritualizada vence a morte, porque no momento da partida, confia na vida do além-túmulo como a verdadeira vida.

A esperança é uma das filhas do amor e da caridade. É um dos frutos mais puros deste consórcio divino, para a divina felicidade. Qual de nós não precisamos de esperança? Ela gera o otimismo e clareia a vida com alegria , predispondo todo o organismo, mesmo o espiritual, a uma harmonia perfeita, assinalando, por onde passa, a existência de quem acredita na paz laboriosa.

Quem solfeja na intimidade a canção da esperança, não se cansa nem se entristece, não vê o mal em parte alguma e, quando chora, é de alegria, pelas mãos que observa a natureza lhe ajudando. As primeiras letras dessa melodia nascem pela prece bem ordenada no coração. Orar, sentindo gratidão pelo Senhor e humildade diante da grandeza de tudo que o cerca, destampando a comporta dos centros de força, os quais serão iluminados pela resposta do Criador! E a razão estimulada a crer mais n’Aquele que tudo dá, sem exigir, favorece o surgimento da esperança, que aparece como dama de luz nos seus caminhos de ouro.

Quando a tua irreverência começar a julgar os outros, desconfia de ti mesmo: pode ser investida das trevas querendo levar-te ao caos; quando algum fato te levar à discórdia, amarrando o teu semblante na tristeza e te inspirando ideias de vingança e de orgulho, confere o teu amor em Cristo, que pode ser alguma companhia invisível insuflando-te à ruína. Quando sofreres o acicate da dor, não caias no desespero; pode ser um testemunho que haverás de dar, provando as tuas forças. Nesses momentos, lembra-te do Cristo com as mãos cheias de estrelas de esperanças, derramando-as em ti, e com os lábios fartos de sorrisos como flores de luz em tua direção, e te sintas, como Ele, feliz com a vontade de Deus. Acreditemos na nossa vitória frente aos insucessos; eles passam como a bruma, permanecendo o sol; e a luz das estrelas continuarão a clarear nossos destinos.

Confiemos, pois, em Deus e em Cristo, que a confiança em nós surgirá na brandura do tempo e na continuação da vida. A confiança só pode ser entendida como tal, quando o Cristo a acompanha, disciplinando as nossas ideias e educando as nossas emoções. Confiar nas ideias erradas e em sentimentos extravagantes é deturpar os segredos do coração, que guardam a vida de Deus na nossa vida. Ninguém pode dizer que não conhece o bem e as linhas da nobreza espiritual, porque o Evangelho já está pregado a todas as nações e a todas as criaturas, e quando o entendimento falta na Terra, os emissários de Jesus se encarregam de complementar o desejado durante o sono.

 Não rejeiteis, portanto, a vossa confiança, que tem grande e avultado galardão.

 (MIRAMEZ - Espírito. Cristo-esperança, do Livro: Cristos. Psicografia de João Nunes Maia. 4. ed. Belo Horizonte: Fonte Viva, 2013. p. 58-59. (Col. Miramez e o Evangelho).

 

"É Natal...
É Natal... de pólo a pólo
Do céu estrelado ao solo, Te louvam, Jesus querido.
É Natal ...quanta beleza!
Toda a terra é primavera, 
Do trono da natureza aos sóis, de esfera em esfera.
É Natal...O mundo se engalana
Na exaltação da alegria,
Do arranha-céu à choupana
Glorificam a estrebaria.
É Natal, sopra o vento de mansinho
Em cantigas de ninar,
Canta feliz o passarinho
Na ternura de seu lar.
É Natal... O céu envolve a Terra
Nos esplendores da luz,
O homem esquece a guerra 
E quem sofre agradece a cruz.
É Natal... em todo o universo ressoam
Doces cânticos de louvor.
Tudo ama, esquece e perdoa
Neste Teu dia, oh, Senhor!
É Natal, Quanta esperança
Para a pobre humanidade,
Do ancião à criança
Brilha a luz da caridade.
É Natal...estou feliz e contente
E renovado, afinal!
Mestre, obrigado eternamente, 
Pois me livraste do mal.
(Roque Assunção da Cruz, caminheiro)

This article's tags: Jesus Esperança doutrina espírita natal

0no comments yet

Post a comment

* field is mandatory

If you are a registered user, you can login and be automatically recognized.