Go to the content
Colabore com a casa
or

 Go back to Temas Doutri...
Full screen Suggest an article

O Espiritismo é Doutrina para os jovens!

March 31, 2016 10:36 , by Redação CDC - 33 comments | No one following this article yet.
Viewed 716 times

O Espiritismo é Doutrina para os jovens!

 

Jovem_lendo

O papel do jovem na casa espírita é fundamental. Suas ideias, capacidade de renovação e energia podem ser de relevante importância para a manutenção do centro de portas abertas. Os jovens de hoje, serão os responsáveis pelo centro espírita de amanhã.

Para isso, precisam ser preparados e acolhidos em suas mais diversas necessidades. Manter a Juventude Espírita da casa espírita ativa, participando das atividades, requer superação de desafios, os mais variados. Dentre eles, competir com o mundo moderno que abre pouco espaço para as "coisas do espírito" e o estímulo ao conhecimento da doutrina espirita que tanto pode direcionar todos para o bem!

Veja abaixo o que diz Divaldo Franco (Conversando com Divaldo Franco II) sobre o jovem no Cristianismo e Espiritismo.

 "(...) No convívio com a criança (e com os jovens), nós aprendemos muito. Não adianta uma atitude doutoral, de magister, porque, para a criança, estamos no mesmo nível. Temos que descer, conviver, orientar bem e fazer com que a criança possa insculpir dentro de si aquilo que as nossas palavras não podem dizer, para que, quando chegar ao período juvenil, ela esteja tão bem equipada que, ao enfrentar a Universidade, ao ver dentro de casa os problemas domésticos, tenha resistência para prosseguir. 

Eu sempre digo que o Espiritismo é doutrina de jovens, porque, por mais que recuemos, os jovens, no Espiritismo, desempenharam um papel extraordinário. 

Quando eu me lembro das cartas de Paulo a Timóteo, as cartas doces em que ele aconselhava-o a buscar firmeza de caráter, fugindo das paixões da mocidade.[1] Que advertência paternal! 

João, fascinado por Jesus, a partir dos 16 anos – conforme apontamento de um autor judeu, Sholem Asch, em seu livro O Nazareno, [2] quando ele descreve João muito poeticamente, como apaixonado pelo lirismo de Jesus – se torna o discípulo amado. 

Mais tarde, veremos as irmãs Fox,[3] jovenzinhas de 12 e 14 anos, ou 13 e 15 anos, de acordo com os biógrafos. 

Depois, as meninas Baudin, [4] e a sabedoria de Kardec de não haver colocado os nomes delas. Graças a isso elas se casaram e não se sabe o que lhes aconteceu. Certamente foram felizes, mas não tiveram aquela debilidade das irmãs Fox que, casando com fundamentalistas, estes diziam que os fenômenos foram forjados por elas e as obrigaram a confirmar isso. Casaram-se somente para que elas desmoralizassem o neoespiritualismo americano que, através da mediunidade, trouxe-nos a prova fundamental da imortalidade da alma. Tornaram-se ébrias, divorciaram-se e mais tarde foram ao The New York Times para dizer que foram obrigadas a acusar o fenômeno. O jornal, em um editorial notável, disse o seguinte: “Elas aqui estiveram para dizer que os fenômenos são autênticos, mas nos deixaram uma grande interrogação, porque são mentirosas, porque numa época disseram que era mentira e agora dizem que é verdade. Não podem estar certas as duas vezes. Elas são mentirosas.” 

Já Kardec teve cuidado. Aquelas meninas poderiam casar-se, como se casaram, logo depois. Viajaram, constituíram suas famílias e nós não sabemos o que aconteceu. 

Depois, Ermance Dufaux.[5] Como essa menina aos 12 ou 13 anos pôde psicografar A vida de Joana d’Arc ditada por ela mesma? Que faculdade! Que potência mediúnica! Logo depois, A vida de São Luís, o notável rei de França, ditada por ele mesmo. Ela vai agora conhecer Kardec, segundo o melhor historiador, na noite de 18 de abril, naquele momento em que Kardec, em casa, na Rua dos Mártires, n. 8, celebra o lançamento de O livro dos Espíritos. 

Canuto Abreu,[6] inspiradamente narra a cena[7] e Emmanuel diz que ele havia estado lá, tal a memória viva com que recompõe o quadro. Ali estão quatro meninas: Caroline e Julie Baudin; a Sr.ta Ruth Japhet,[8] que também foi instrumento da missão de Allan Kardec, e a Sr.ta Ermance Dufaux. 

O machado está no tronco da árvore. A árvore velha deve ser ceifada. Eram meninas, todas elas menores de 15 anos. 

Então eu digo para eles que o Espiritismo é doutrina de jovens de qualquer idade, principalmente de jovens biológicos, que não se podem comprometer com as figurações do mal. 

A nossa convivência com os jovens deve dar-se principalmente através do exemplo, porque eles observam muito. Têm muito tempo mental para observar-nos e para nos acompanharem, aplicando-se naturalmente as técnicas da moderna psicopedagogia, como vem sendo feito. 

Eu penso que este momento, que ora vivemos, será modificado e revertido." 

 

Nós, da Casa do Caminho, também pensamos que o jovem não precisará lutar contra o mundo moderno para cuidar 'das coisas do espírito'. Temos certeza que, em breve, aprenderão a conviver como 'homens no mundo', percebendo-se imortais e, portanto, menos angustiados e em maior harmonia consigo próprio, com os outros e com o planeta que habitam, trabalhando no bem. Basta que sejam apresentados a oportunidades alternativas às que estão aí postas no 'mundo moderno'...

A Juventude Espírita Casa do Caminho está de portas abertas para recebê-los!

 

 

657. Têm, perante Deus, algum mérito os que se consagram à vida contemplativa, uma vez que nenhum mal fazem e só em Deus pensam?

“Não, porquanto, se é certo que não fazem o mal, também o é que não fazem o bem e são inúteis. Demais, não fazer o bem já é um mal. Deus quer que o homem pense Nele, mas não quer que só Nele pense, pois que lhe impôs deveres a cumprir na Terra. Quem passa todo o tempo na meditação e na contemplação nada faz de meritório aos olhos de Deus, porque vive uma vida toda pessoal e inútil à Humanidade e Deus lhe pedirá contas do bem que não houver feito.” (ver item 640) (Livro dos Espíritos- Allan Kardec)

 

 

[1] Timóteo 4:12/ Timóteo 2:22 [Nota do autor]

[2] Autor polonês nascido em Kutno, Polônia [Nota do autor]

[3] As irmãs Fox foram três mulheres que nos Estados Unidos da América, em 1848, tiveram um importante papel na gênese do Moderno Espiritualismo Ocidental. As irmãs eram Kate Fox, Leah Fox e Margaret Fox. [Nota do autor]

[4] Julie Baudin(15 anos) e Caroline Baudin (18 anos), Ruth Jafet (20 anos) e Aline Carlotti (20 anos). Dentre essas jovens destacamos Julie e Caroline Baudin que psicografaram a quase totalidade das questões de o Livro dos Espíritos nas reuniões familiares dirigidas por seus pais e assitidas pelo mestre lionês (Allan Kardec). [Nota do autor]

[5] Ermance de la Jonchère Dufaux nasceu em 1841, na cidade de Fontainebleau, França. Segundo Canuto Abreu, a família Dufaux conheceu Allan Kardec na noite de 18 de abril de 1857. [Nota do autor]

[6] Silvino Canuto de Abreu (Taubaté, SP, 19 de janeiro de 1892 – São Paulo, 2 de maio de 1980), foi um farmacêutico, médico e pesquisador espírita brasileiro. [Nota do autor]

[7] O livro dos Espíritos e a sua tradição histórica e lendária, de Canuto de Abreu. [Nota do autor]

[8] Ruth Japhet foi a médium responsável pela revisão completa do texto de  O livro dos Espíritos, incluindo algumas adições.[Nota do autor]


This article's tags: Educação e Espiritismo Juventude Espírita Casa do Caminho juventude espiritismo

0no comments yet

Post a comment

* field is mandatory

If you are a registered user, you can login and be automatically recognized.